15/05/2017

Eggy bread - ou uma espécie de rabanadas saudáveis para o pequeno-almoço



Ainda fico ridiculamente espantada com a magia das coisas simples. Ou melhor: fico cada vez mais - e estou apostada em apontar a minha forma de ser e de estar para aí. Minimal living no sentido macro que pode assumir, na sua versão micro, a forma de uma receita, uma compra (ou não-compra), uma vela acesa, uma simples t-shirt branca, um quase regresso às origens (mas em bom), que me liberta. Como diria o Salvador, uma vida sem fogo de artifício.

De volta ao que me traz aqui e um exemplo claro do que referi: quem diria que passar uma fatia de pão por ovo e leite (sem açúcar) tornaria este num dos melhores pequenos-almoços de que tenho memória?
Os ingleses chamam-lhe eggy bread e em português encontramos similitude nas rabanadas - mas, vá lá, não tem a mesma graça proferi-lo como quem remete o cérebro para o doce de Natal. 
Será, portanto, uma recriação enganadora da imagem com a leveza de que nada do que se faz é banal. É disto que se fazem as minhas manhãs. E é mesmo por isto que, um dia, decidi criar um blogue. Um elogio à simplicidade.

Fiz a receita duas vezes só neste fim-de-semana. 


Entretanto, não sei se me viram no Canal Q, no programa É a vida Alvim. Falei do blogue, das receitas biológicas para crianças, dos workshops, do jornalismo, da Camila, do Jamie e tive o privilégio de me sentar não ao lado mas entre dois senhores impecáveis.

Está tudo aqui.








INGREDIENTES
[2 pessoas]

4 fatias de pão saloio (ou outro à escolha) com dois dias
2 ovos biológicos
3 colheres de sopa de leite magro (ou bebida vegetal de arroz)
1 pitada de sal
1 colher de café de óleo de côco (ou azeite virgem extra)
1 iogurte natural magro
Pepitas de cacau cru biológicas a gosto (usei Iswari)
Morangos a gosto


PREPARAÇÃO
  1. Cortamos o pão em fatias com cerca de 1,5 cm de espessura. Reservamos.
  2. Num prato côncavo, batemos os ovos com um garfo. Juntamos o leite e uma pitada de sal e voltamos a bater.
  3. Aquecemos uma frigideira antiaderente e pincelamos a base com o óleo de côco (ou azeite). 
  4. Passamos as fatias de pão pela mistura de ovo e leite, escorremos e douramos por dois minutos, até obtermos o tom desejado. Viramos e douramos o lado oposto.
  5. Servimos as fatias de pão com iogurte natural, morangos e pepitas de cacau a gosto.
Nota: é importante que o pão tenha dois dias para que não se desfaça.

[P.S. Estou sem iPhone por tempo indeterminado, o que significa que o meu Instagram está em stand-by. Dura provação esta, a de ter que (sobre)viver sem um gadjet que condensa a nossa vida toda. Viver sem telemóvel não faz, de todo, parte dos meus planos de existência minimalista, pelo que estou à beira de uma síncope].

Até já 
Sigam-me também no Facebook


GuardarGuardar

21/04/2017

Quatro deliciosas propostas com bolachas de arroz



Nos últimos dias, dediquei-me mais tempo e esse é o motivo da ausência de publicações. 

Primeiro, comecei a sentir um cansaço extremo e uma pressão quase insustentável que culminava não raras vezes num paradoxo: ter muitas ideias e não ter vontade ou tempo ou mesmo energia suficiente para as pôr em prática. Os meus dias passavam a voar.
Não sei se já vos aconteceu isto, mas ajudou-me imenso perceber quais eram os focos de tensão que podiam ser eliminados e quais eram, de facto, as actividades onde me sentia realizada. É óbvio que nem tudo é tão linear assim, que há problemas que não têm solução à vista, que há preocupações que não se apagam como que por magia.
Mas há, isso sim, pequenas alterações que se podem fazer para inverter o curso das coisas. E há uma certeza irrefutável: se não formos nós a fazê-las, ninguém as fará por nós.
No meu caso: comecei a sair muito mais de casa, a ir mais vezes ao ginásio ou fazer caminhadas à beira-mar (aproveitando o sol), comecei a não cozinhar tantas vezes (cozinhar por obrigação, diariamente, para nós e para a Camila, estava a esgotar-me), a alimentar-me (ainda) melhor, a beber mais água e inscrevi-me num curso de inglês (o meu nível já é o intermédio avançado, mas há muito por aprender e agrada-me muito a ideia de ter uma meta onde chegar).

Nem vos consigo traduzir por palavras o quão esta combinação foi benéfica para mim e para todos à minha volta. 

Pelo caminho, fui apontando no meu habitual bloco de notas receitas que quero fazer e que chegarão aqui muito em breve. 
Para já, e sem mais delongas, deixo-vos não uma mas quatro sugestões deliciosas para darem vida às vossas tortitas de arroz. Gosto delas especialmente ao pequeno-almoço ou como snack a meio do dia.






Tortita de manteiga de amendoim, banana e mirtilos (a do urso)
1 tortita de arroz sem sal
1 colher de chá de manteiga de amendoim
3 fatias de banana
3 mirtilos
Polén de abelha q.b.

Tortita de morangos e chocolate
1 tortita de arroz, sem sal
1 colher de chá de creme de cacau e avelãs (usei da NatureFoods)
3 ou 4 morangos biológicos, em quartos
Lascas de côco seco q.b.

Tortita de abacate e ovo
1 tortita de arroz, sem sal
1 abacate maduro, pequeno
1 pitada de flor de sal
1 fio de azeite
1 ovo biológico (estrelado ou escalfado)
1 pitada de pimenta preta

Tortita de requeijão e banana
1 tortita de arroz, sem sal
1 colher de chá de requeijão magro
Meia banana, em fatias
1 fio de mel
Sementes de papoila q.b.
1 colher de café de granola caseira

Nota: as bolachas devem ser consumidas de imediato.
Façam as vossas combinações preferidas e partilhem comigo usando a hashtag #sweetbigas no Facebook ou Instagram.

Bom fim-de-semana de sol! 



30/03/2017

Muffins de maçã e aveia [receita biológica para crianças]

Quando crio receitas doces para miúdos (bolos, muffins, bolachas) gosto de lhes associar uma fruta de modo a que me permita cortar nas quantidades de açúcar. E se é verdade que há bolos que se conseguem fazer (comer) sem qualquer adição de açúcar, outros há que perderiam muito se não o acrescentássemos. 

Vamos a alguns pontos positivos de confeccionarmos doces em casa:

- Sabemos exactamente aquilo que estamos a comer;
- Podemos variar os ingredientes e escolher substitutos mais saudáveis e isentos de químicos;
- A adição de açúcar fica ao nosso critério (um queque comprado numa pastelaria tem cerca 300 kcal e 20 gramas de açúcar por unidade. A propósito: recomendo-vos vivamente que vejam o site sinazucar.org. É bastante elucidativo em relação às quantidades de açúcar escondidas nos alimentos, mesmo daqueles aparentemente inofensivos como o iogurte "O Meu Primeiro Danone" ou as bolachas Maria);
- Não têm conservantes, corantes, nem aromas artificiais.

Estes muffins são uma proposta completa e nutritiva para o lanche das crianças - mas, como qualquer "guloseima", não o são numa base diária. Tem aproximadamente 104 kcal e 5 gramas de açúcar por unidade.
Usei farinha de espelta que, ao contrário do que algumas pessoas pensam, contém glúten, é mais completa do que o trigo e ajuda-nos a ampliar o espectro de nutrientes que oferecemos aos nossos filhos. Já o iogurte, além de ser uma fonte de cálcio, tem um outro propósito: posso cortar na manteiga e continuo a ter uma boa textura.

A receita, como sempre, tem a aprovação da Catarina Trindade (nutricionista) e foi feita especialmente para o Filhos & Cadilhos, o novo programa do Porto Canal, apresentado pela Mariana D'Orey.
O cenário é delicioso, as conversas são imperdíveis (tenho aprendido imenso com os convidados) e é, de facto, um daqueles formatos à medida da apresentadora que se propõe a descomplicar a parentalidade - e fá-lo, garanto-vos, tocando em assuntos sensíveis de modo desempoeirado e simultaneamente incisivo.

É já este sábado (dia 1 de Abril) - e todos os sábados - às 11 horas da manhã. A não perder.




INGREDIENTES
[Para 12 muffins | A partir dos 12 meses]

2 maçãs biológicas (idealmente doces)
2 ovos biológicos
60 g de açúcar amarelo biológico
20 g manteiga magra sem sal
50 g de iogurte natural biológico (sem açúcar)
100 g de farinha de espelta branca biológica (ou farinha de trigo sem fermento)
50 g de flocos de aveia finos biológicos
1 colher de chá de fermento em pó
2 colheres de sopa de amêndoa granulada biológica
1 pitada de canela em pó biológica

PREPARAÇÃO
  1. Pré-aquecemos o forno a 180º C.
  2. Descascamos as maçãs, removemos o caroço e trituramos no robot de cozinha. Reservamos.
  3. Numa taça, juntamos os ovos e o açúcar e batemos por dois minutos.
  4. Acrescentamos a manteiga e o iogurte e batemos novamente
  5. Juntamos a farinha, os flocos, o fermento, a amêndoa e a canela e envolvemos em velocidade baixa apenas até incorporar.
  6. Por fim, adicionamos a maçã triturada e envolvemos.
  7. Depois de colocar as forminhas de papel na forma de muffins, com a ajuda de uma colher distribuímos a massa e levamos ao forno por cerca de 20 minutos.


Durante o programa fiz ainda um smoothie de morango e abacate, mas neste caso terão de esperar por sábado para ver a receita :)

Estou à vossa espera no Instagram


© SWEET BIGAS. All rights reserved.