13/11/2017

Focaccia de tomate desidratado, azeitonas e alecrim | Receita 100% Biológica


A quietude de um domingo soalheiro serviu-lhe de palco. A escolha criteriosa dos ingredientes deram-lhe vida. O aconchego do cheiro que inebriou a casa juntou as pessoas à mesa e à sua volta. 

Estou a falar de uma focaccia como poderia estar a falar de uma lasanha. Ou de uma pizza. 
Itália não tem só a cozinha que mais me fascina e conforta, como tem a doçura intrínseca do saber-fazer mesmo que, à primeira vista, não se vislumbre qualquer arte. 

Cortam-se pequenos pedaços igualmente toscos e abre-se uma garrafa de vinho condizente. O meu palato ratificou a crosta dourada e estaladiça e o quão guloso foi sentir os grãos de flor de sal, mas ,naquele momento, garanto-vos, não se pensa em nada que vá para além da mão que mergulha a focaccia em azeite puro, sem aditivos.










INGREDIENTES

320 ml de água morna
10 g de fermento de padeiro seco Bioreal
50 ml de azeite biológico Casa São Miguel
2 colheres de chá de mel
1 colher de chá de sal
475 g de farinha de espelta branca biológica
1 cebola roxa biológica
20 g de tomate desidratado biológico Desidrata
3 hastes de alecrim fresco biológico Vasco Pinto
1 mão de azeitonas pretas biológicas, descaroçadas
Flor de sal biológica com musgo irlandês Algaplus

PREPARAÇÃO

  1. Numa taça, dissolvemos o fermento na água com a ajuda de um garfo. Adicionamos o azeite, o mel e o sal mexemos bem.
  2. Numa outra taça, colocamos a farinha. Abrimos um buraco no centro e vamos deitando o preparado de água com fermento, mexendo com o garfo até obtermos uma massa.
  3. Polvilhamos a bancada com farinha e amassamos por cinco minutos até formar uma bola. 
  4. Colocamos novamente numa taça, tapamos com um pano e reservamos num local de temperatura amena por cerca de 1 hora.
  5. Pré-aquecemos o forno a 200º C e untamos um tabuleiro com azeite.
  6. Juntamos à massa a cebola roxa partida finamente em meias-luas, o tomate e as azeitonas picados grosseiramente e o alecrim. Envolvemos.
  7. Preenchemos o tabuleiro com a massa, criando concavidades com as pontas dos dedos. 
  8. Salpicamos com um fio de azeite e generosamente com flor de sal e levamos ao forno por 25-30 minutos, sem ventoinha, até a crosta estar dourada.
Post escrito em parceria com o espaço Bio & Natural do El Corte Inglés Gaia-Porto


Boa semana 

Facebook sweetbigas
Instagram @anachaves

GuardarGuardar

08/11/2017

Crepes de ricotta e espinafres com molho de mostarda e mel


A minha mãe não gosta de queijo, mas calhou em sorte que num destes domingos em que me visitou, eu tinha decidido fazer crepes com ricotta.
- Experimenta que vais gostar, atirei. E imediatamente me lembrei do último livro que li de Ishiguro, onde ele diz qualquer coisa como "as crianças devem ser enganadas se quiserem crescer sem trauma". Os adultos também.

A minha mãe não aprecia combinações improváveis, nem tem genuíno interesse em provar novos sabores. A felicidade dela reside no conforto do que conhece. 
Havia ainda salmão fumado à mesa naquele brunch e umas latinhas apetitosas que vieram da Companhia das Conservas, vizinhos de trabalho em Matosinhos. 

Contei dois crepes por pessoa - e andamos de faca em riste para dividir o que sobejou, desemparelhado.
Não sei se as mães se enganam ou se se deixam enganar. Mas convencem-se. Com delicadeza.





INGREDIENTES

Para os crepes
[cerca de 10 crepes]

100 g de farinha de espelta branca sem fermento
3 ovos
250 ml de leite magro
1 colher de sopa de manteiga magra derretida
1 pitada de sal

Para o recheio
30 g de pinhões
1 fio de azeite
1 dente de alho
150 g de espinafres baby leaf
Sal e pimenta preta q.b.
250 g de queijo ricotta

Para o molho
2 colheres de sopa de mostarda dijon
1 colher de sopa de mel
4 colheres de sopa de azeite
Sumo de meio limão
Sal e pimenta preta a gosto

PREPARAÇÃO

Dos crepes
  1. Peneiramos a farinha para uma taça. Abrimos um espaço no meio e juntamos os ovos e o leite. Misturamos bem com uma vara de arames e deixamos a massa repousar cerca de 30 minutos.
  2. Juntamos, agora, a manteiga derretida e envolvemos novamente.
  3. Numa frigideira anti-aderente e sem gordura, deitamos pequenas conchas de massa. Espalhamos uniformemente até obtermos uma camada fina. Assim que fizer bolhinhas viramos o crepe e douramos a outra face (sempre em lume médio-alto).
  4. Repetimos o processo até terminar a massa. Reservamos.
Do recheio
  1. Numa frigideira anti-aderente e sem gordura tostamos os pinhões. Retiramos e reservamos. 
  2. Em lume alto, juntamos um fio de azeite e um dente de alho esmagado e deixamos fritar o alho por 2 minutos. Juntamos os espinafres, temperamos a gosto e salteamos rapidamente (1 minuto). Retiramos e reservamos.
Do molho
  1. Misturamos bem todos os ingredientes numa taça. Corrigimos temperos se necessário. 
Empratamento
  1. Dobramos o crepe a meio (meia-lua). Barramos generosamente queijo ricotta em metade da superfície. Juntamos 1 colher de sopa de espinafres salteados e pinhões a gosto. Salpicamos com molho de mostarda e mel.
  2. Repetimos o processo para todos os crepes. Servimos polvilhado com mais molho e pinhões.

Tenham uma boa semana ♥

Facebook sweetbigas
Instagram @anachaves

22/10/2017

Risotto de cogumelos com abóbora assada [e outras notícias]



Uma das maiores virtudes deste trabalho é, sem dúvida, poder provar ingredientes que, de outra forma, passariam despercebidos na sua prateleira de supermercado.
Refiro-me, neste caso em particular, aos risottos que já estão temperados e só precisam de um pouco de vinho, água, um bom queijo parmesão e alguns minutos para ganharem vida.

Escolhi uma embalagem de risotto de cogumelos porcini da Cascina Belvedere, uma opção biológica e ideal para quem tem pouco tempo mas quer impressionar os convidados. Não há como correr mal, como errar no sal ou nos temperos, porque aquele pacotinho condensa tudo na medida certa.
Para acompanhar, assei uma abóbora-manteiga temperada com tomilho e endro e abri uma latinha de filetes de atum dos Açores. Rápido e apetitoso, num verdadeiro elogio à simplicidade.


A outra (muito boa) notícia é a de que tenho um novo emprego, numa agência de comunicação de culinária. Assim de repente, não há nada que pudesse encaixar melhor no meu perfil tendo em linha de conta a minha formação e o trabalho que desenvolvi nos últimos anos - não só aqui no blogue, mas também no jornalismo. 
Talvez se vá notar mais a minha ausência no blogue, mas é por um bom motivo :)









INGREDIENTES

1 abóbora-manteiga biológica, partida em pequenos cubos
1 fio de azeite
2 hastes de tomilho fresco biológico
2 hastes de endro fresco biológico
Sal e pimenta preta q.b.
1 cebola biológica
2 dentes de alho biológicos, sem gérmen
1 embalagem de risotto funghi Porcini biológico Cascina Belvedere (250g)
1 copo de vinho branco biológico
600-700 ml de água bem quente
2 cubos de manteiga
4 colheres de sopa de queijo parmesão ralado

PREPARAÇÃO
  1. Pré-aquecemos o forno a 200º C.
  2. Descascamos a abóbora, limpamos de sementes e cortamos em cubos similares. 
  3. Colocamos a abóbora numa assadeira, temperamos com azeite, tomilho, endro, sal e pimenta, envolvemos e levamos ao forno por cerca de 20 minutos.
  4. Num tacho fundo, refogamos a cebola e o alho picados. Juntamos o risotto e envolvemos. 
  5. Com o lume alto, refrescamos o risotto com o vinho e deixamos que evapore.
  6. Adicionamos, pouco a pouco, a água e deixamos cozinhar por cerca de 17 minutos, mexendo sempre,  até o grão estar al dente. 
  7. Por último, fora da fonte de calor, juntamos a manteiga e o parmesão e envolvemos.
  8. Servimos de imediato.


Post escrito em parceria com o espaço Bio & Natural do El Corte Inglés Gaia-Porto


Sigam-nos também no
Facebook sweetbigas
Instagram @anachaves

Boa semana 



© SWEET BIGAS. All rights reserved.